terça-feira, 25 de agosto de 2009

Incertezas

Vivemos um tempo de "vazio ético", de incertezas constantes. Nada do que você faz ou diz tem aquele mote de "isso vai ficar pra sempre". O pra sempre é um instante vago e impreciso. Ando em uma crise danada quanto a isso. Parece que a gente vive sem expectativas ou que elas são tão incertas que dá vontade de sair correndo. "Pare o mundo que eu quero descer!" É mais ou menos isso. Hoje estou acabrunhada, cheia de dúvidas e começando a achar tudo sem graça como aquele menino do conto do Caio F.: Como é que ninguém desconfiava que o Clark Kent era o Super-Homem? É por aí...

10 comentários:

Letícia disse...

Biba,

Posso me juntar ao seu time? Também estou assim. Aliás, tenho essas fases. E eu também pensava como o menindo do conto do Caio F.

Beijos.

E o mundo não pára pra gente descer, mas pode se mover mais rápido. Quem sabe um dia...

João Pedro Vicente disse...

Ontem mesmo pensava sobre isso.

É que vi no domingo aquele programa de péssimo gosto chamado "No Limite" (pela primeira vez). Pessoas com olhos vendados se digladiavam num terreno de areia, disputando um saco com um feixe de lenha dentro.

Fez-me lembrar uma reportagem de 2007 na TV, que mostrava no centro de SP marginais drogados agredindo uma deficiente física para assalta-la.

Quanto menor a proximidade da educação (ilustração, erudição) maior a proximidade dos humanos ao mundo dos animais.

Cabe a cada um decidir se quer ser lorde ou macaco.

Bruno disse...

olá,as incertezas dominam nossa vida,as vezes dá vontade de sumir do mundo,mas temos que seguir em frente e não abaixar a cabeça,porque tudo se resolve!

Guilherme Reolon de Oliveira disse...

Oi, Biba!
Incertezas, liquidez, idéias fluidas, pensamentos abstratos ao extremo, uma corrida desenfreada.
Olho para o mundo e tb, por vezes, me sinto deslocado. Ainda que encontro algumas pessoas na mesma situação.
A imagem anda operando sobre o nosso psíquico, não estamos preparados para interpretá-la: eis o grande entrave, na minha opinião.
Como já disse em outra ocasião, acredito que o grande mote pós-moderno é a hibridização, e junto à ela, esse algo incerto.

Por isso tudo, estás certa: Carpe Diem.

Grande beijo.

Biba disse...

Letícia, pode se juntar ao meu time sim. Sei que você me compreende.

Beijos
Carpe Diem!!

Biba disse...

João Pedro, é verdade que cada um decida se quer ser lorde ou macaco.

Beijo,
Carpe Diem!!

Biba disse...

Oi Bruno, sim tudo se resolve a seu tempo, mas de vez em quando a gente tem que gritar um pouquinho.

Beijo
Carpe Diem!!

Biba disse...

Guilherme, acabamos nos sentindo deslocados, você disse tudo.

Beijo
Carpe Diem!!

R.Vinicius disse...

“Agrada-me as incertezas, as dúvidas. Elas impulsionam o ser ao questionamento, ao movimento; certezas dão pontos finais, certeiros; as dúvidas cadenciam, se fazem interpretar. Se de tudo houvesse certeza – diria o homem – o que resta? A busca está nas dúvidas, no reflexo da certeza a aparente necessidade de sentido. Como dizia o gato para Alice (No país das maravilhas) Se não tem sentido, qualquer destino serve. Todo caminho leva a algum lugar.” Abraço.

Biba disse...

Vinícius, gostei do seu comentário, muito bonito.

Beijo
Carpe Diem!!