segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Trocar a alma de casa

Tenho esse amor correspondido que me abre para as janelas interiores. Tenho essa vida que me tonteia, absorve, gruda. Não há como livrar-se do amor e da vida. E quem quer realmente isso? O mistério do que está por vir mistura-se à quentura do agora-já. Momentos em que nos lançamos para muito além de nós mesmos. Vamos em direção ao Outro. Esse amor correspondido não me acomoda, atiça. Fico em chamas. A vermelhidão do amor correspondido é diferente daquela da paixão que arrebata e se exclui em algumas semanas, meses. O bom desse amor de que falo é que ele nos dá comprometimento. Palavra essa que as pessoas evitam constantemente. Comprometer-se é também doar-se ao Outro. Nem todos estão preparados. Como dizia Quintana: "Amar é trocar a alma de casa".

6 comentários:

Delano disse...

Oi Biba. Amor correspondido é a única forma dele não esvaziar. Ah, gostei de te ver na UCS TV, falando sobre terror e suspense no cinema. Beijos.

ira disse...

apaixonante, amei ler um texto assim, começar a semana com palavras de amor. "O bom desse amor de que falo é que ele nos dá comprometimento. Palavra essa que as pessoas evitam constantemente."

tenha uma semana de muito amor. bjo

Biba disse...

Delano, legal ter você por aqui! Ficou legal a história do terror, né?
Beijos
Carpe Diem!!!

Biba disse...

ira, o amor é sagrado, não é? Gosto quando você me visita.
Bjim e Paz!
Carpe Diem!!!

Danúbio e ainda assim tenho vivido, disse...

Passei uns dias ausente (precisei, a propósito). Aí volto e te vejo falando de amor, e melhor, amor correspondido. Não há, certamente, melhor forma de começar a semana. Alguém me disse uma vez que a gente só tem uma chance na vida de encontrar com um amor correspondido. Se já o encontrou, agarre-se a ele como um náufrago agarra a sua última chance de sobrevivência. Lindo texto.
Beijos

Biba disse...

Danúbio, ter um amor correspondido e viver com ele 16 anos é muito bom, não é? Nunca falava no assunto porque as pessoas estão sempre procurando um amor que seja assim e eu me sentia meio sem graça de dizer, olha, mas eu amo alguém que também me ama e há muito tempo. Então isso é possível, né?
Bom que você está de volta.
Beijos
Carpe Diem!!!