sexta-feira, 20 de março de 2009

Você que está em mim

Você veio de um lugar desentendido. De um tempo assim, ao mesmo, iluminado e louco. Lembro dos nossos braços unidos, do teu cheiro e meu perfume. De um lugar às escondidas e que ao mesmo tempo era público de nossa inquietação. Fico me perguntando por que voltou? Porque assim sem nem ao menos me dar uma pista... ou eu a tive, outro dia, quando não estávamos a sós? Quando não era possível externar mais do que sorrisos? Quando o abraço era também público e por isso diluído de intenções mais vorazes? Por que tanto te bendigo se minha sorte não te traz a mim? Senão em sonhos que não posso explicar? Você veio desse lugar distante, borrado pelo tempo porque eu queria esquecer... Está bem, fingir que esqueceria. Como se possível fosse esconder-me de mim mesma. Você veio e sabe que estou falando de quentura e mãos que se procuram e peitos desnudados ou quase e tudo. Você veio e não posso negar que esse sentimento é mantra sobre nós acostumados a dizer coisas assim como: vamos indo, pois é, tudo bem, o que vocêestálendooquevocêestáassistindooquevocê... e tudo se turva nas idas e vindas do cotidiano. Você veio para sempre desse lugar desentendido. E, talvez, para sempre eu te procure mais ainda.

8 comentários:

Hod disse...

Aloha Biba!! Venho alguns dias lendo seus post e hoje sendo um dia muito especial por que é o Dia do Glogueiro, decidi deixar meu abraço. Queros continuar acompanhando e lendo post mais antigos. Esse post é de uma beleza singular. Minhas sensasões ao ler foram boas, pois saltei em universos paralelos. Mas a maior sincronia é que estou gestando uma blog com o mesmo nome que o seu. Nada acontece ao acaso.

Feliz dia do Blogueiro, queo cultivar essa nova amizade.

Aloha Hod.

Biba disse...

Hod, seja bem recebido neste espaço que é da emoção, da razão, da alegria e da sinceridade. Um espaço criado para muita diversidade, como cinema, música, literatura e assuntos humanos em geral. Realmente, nada acontece ao acaso.

Beijo,
Carpe Diem!!

Sr. Dédalus disse...

Uma das medidas do meu sublime é a tua poesia. Lindo.

Biba disse...

Sr. Dédalus, queria ser sublime para alguém, de um jeito às avessas e que me deixasse tonta de desentendimento e alegria.

Beijo
Carpe Diem!!

La Corleone [Mãinha] disse...

Dando uma passadinha antes de dormir.
Blog no mínimo interessante! Gostei mesmo!

Beijos.

Biba disse...

Se gostou, achou no mínimo interessante, volte mais vezes. Vou te visitar também.

Bjs
Carpe Diem!!!

Letícia disse...

Que confusão é o amor, Biba. A gente se sente perdido na multidão ou como se esquecesse as chaves de casa. Adorei. Me sinto assim. Buscando e sabendo que algo sempre fica imortalizado. O outro não nos deixa tão vazios assim.

Biba disse...

Sempre acreditei que o outro não nos deixa tão vazios assim, por isso insisto tanto...
Beijo Letícia
Carpe Diem!!!