domingo, 22 de março de 2009

Colcha de retalhos


Atalhos. Retalhos. A vida é premente deles. Olhamos para os lados, quase nunca para cima e muito para baixo. Dos lados estão eles, os atalhos. Pode-se tomar a via expressa ou entrar em algum beco, ruela, sei lá. Mas o que acontece é que o imprevisto sempre nos avista e persegue. Nunca saberemos o certo, o amanhã, nem mesmo o agora. Viu? Já passou. Os retalhos ficam por conta de uma colcha que vamos tecendo vida afora, sem muito jeito ao costurar, sem encaixes perfeitos, sem respeitar a harmonia das cores. Mas a colcha é a vida que se forma a cada instante. Se pegamos atalhos ou não, pouco importa. A verdade é que estamos sempre alheios e entorpecidos por tanta informação que chega um momento que olhar para cima é fundamental. O movimento raro de erguer a cabeça e espiar o céu. De ver que há passaredo voando. Nuvens que se transformam (coelhos, centauros, deuses gregos, astronautas, dragões...). E tudo num piscar de olhos. Eu te vejo, procuro, revejo e já não está mais lá. Um retalho de sentimento. Um atalho no pensamento.

14 comentários:

glória disse...

esses pedaços que fincam experiências tào fugidias em nossas vidas e tão eloquentes. "a colcha é a vida que se forma a cada instante", mesmo cerzida por panos diversos é o lugar onde nos reconhecemos. o nosso céu, suas nuvens e pássaros é o lugar de cima e aquele outro que acolhe nossos pés, ; somos também transformados em coelhos, gatos, serpentes e sapos. dependendo de onde pisamos. amo ler você, daqui olho para todas as direçòes. bjs

Biba disse...

Glorinha, também amo ler você. Há muito reciprocidade e sincronicidade em nossas visitas. Obrigada por vir sempre aqui.
Beijo grande
carpe Diem!!

Letícia disse...

Você vem falando em algo que passou, tempo perdido e existe um certo arrependimento. Estou com você caso seja esse seu objetivo. Falar a respeito do que deixamos para trás porque éramos jovens ou não tínhamos tempo. Seus textos são espelhos e sempre me vejo neles. Já estive nessa situação de perceber "Viu? Já passou."

Sempre muito bom, Biba.

Beijos e bom domingo. =)

pensar disse...

Tambem adorei tua "casa".Somos mesmo um patchwork, de uma vida intensa se nos permitirmos vivsr no eterno agora.
Estava pensando nisso: posso ver, posso ver tudo e todos os lados.Isso 'e viver.
Beijos

Biba disse...

Esteja comigo sim, Letícia, sempre. A cada visita sua percebo como, por alguma razão, nos compreendemos e reconhecemos através de nossos textos. Aprendi a dizer, perdi, como na música do Chico Buarque...

Beijo grande
Carpe Diem!!!

Biba disse...

Minha "casa" é sua também, está certo? Venha quando quiser e eu a acolherei como acolho todos os amigos.
Beijo,
Carpe Diem!!!

Daia disse...

"O movimento raro de erguer a cabeça e espiar o céu."

Essa frase tem a ver com meu último post, em que justamente eu deitei na grama e olhei para o céu.

A vida passa rápido demais mesmo, corrida, enloquecida, pedrdida...

algumas vezes só o céu pode nos trazer a razão.

Beijooo!

Dayse Moura disse...

Atalho de pensamento é um texto bom como esse que faz a gente pensar nas direções que a gente segue, no que fazemos, nos nossos retalhos disformes.
Muito bom esse. Foi fundo aqui.

Beijo*

ira disse...

lembro de uma colcha de retalhos de mamãe. maravilhosa!achava lindos aqueles paninhos todos costurados uns nos outros, e o colorido, tantas cores...
biba, amei o texto e a teia de sentidos. a vida realmente é feita de retalhos, de atalhos... bjim

Biba disse...

Daia, minha linda, olhar o céu é o melhor que há para nos encontrarmos nos perdendo das coisas cotidianas.

Beijos
Carpe Diem!!

Biba disse...

Dayse, os retalhos e atalhos são o que nos é dado para preencher, reunir, invadir... viver, enfim.

Beijos,
Carpe Diem!!

Biba disse...

Ira, não foi você que me trouxe um tapetinho de retalhos certa vez? Eu tenho até hoje.

Bjim
Carpe Diem!!!

Danúbio e ainda assim tenho vivido, disse...

É bom juntar de todos um tiquim e ser um novo.

Biba disse...

Sim , Danubio, juntar um tinquim e fazer algo maior e mais bonito e colorido e às vezes, sem sentido.
Bjo e saudade!!
Carpe Diem!!!