sábado, 3 de outubro de 2009

Trecho de Jogo do Imaginário em Caio F.



Sargento Garcia é um conto em estilo clássico, no qual diálogos e descrições enriquecem a narrativa. “Nenhum vento nas copas imóveis. E moscas amolecidas pelo calor, tão tontas que se chocavam no ar, entre cheiro de bosta quente de cavalo e corpos sujos de machos. De repente, mais nu que os outros, eu: no centro da sala. O suor escorria pelos sovacos”. O Eu-Protagonista narrará sua saga em um texto que reúne crueza e melancolia, vibração e morticidade. É o único conto de Morangos em que a linguagem jornalística é sugerida nas frases curtas e descrições breves. “Sorriu. Pressenti o ataque. Sempre vencia.” O modo hemingwayano é mesclado com períodos longos, falas dos personagens e os pensamentos-signo de Hermes, o Eu-protagonista.


6 comentários:

Germano Xavier disse...

Professora,

assim que eu deixar de ser "apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco" vou comprar seu livro. Já tenho o primeiro e sei do esmero com que trabalhas a palavra. O Caio muito me agrada também. Uma escolha perfeita.

Sucesso ao livro e palavras sempre!
Continuemos...

Biba disse...

Germano, obrigada pelas suas lindas palavras a respeito de O Imprevisto e pelo agrado que Caio lhe causa. Fico muito feliz.

Continuemos...
Abraço,
Carpe Diem!!

Letícia disse...

Biba,

Lindo seu sorriso. Eu deveria falar apenas de seu livro, mas falo de seu sorriso que é de uma alegria só.

E espero poder ler seu livro, Biba. Se tiver como, eu adoraria. Vou te escrever um e-mail.

Biba disse...

Letícia, escrevi para você antes de ler seu comentário. Sim, estou muito feliz!

Beijo grande e afeto
Carpe Diem!!

Duani Lima disse...

Olha que linda!
Sucesso prof! o/
Beijoss^^

Biba disse...

Duani, obrigada!!

Beijos,
Carpe Diem!!