segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Desafios


Quando se dá um trabalho por encerrado, logo nossa mente se retesa. Não há como fugir de novas ideias e afazeres. Dar um tempo para tudo, ficar longe de casa, é também parte dessa ideia de trabalho findo, mas não finito. Os olhos brilham e querem mais. À noite os sonhos dizem do inconsciente desejo de renovação. Então, de repente, nada mais é aquilo que costumava ser e a gente se desenovela junto com o fio de Ariadne. Esse espaço que buscamos dentro e fora de nós é o que há de mais precioso. Na riqueza dos dias, tantas vezes nebulares, podemos encontrar um fato, uma pessoa, um lugar. E neles ou deles, talvez nasçam novas histórias a serem contadas. Sempre haverá um livro por escrever. Isso, finalmente, entendo.

8 comentários:

Franzé disse...

Hoje queria descansar.
Não de trabalhos.
Da minha espera.
Mas ainda espero...

"Onde está a felicidade?
Desafinada
Desafiada
Descabelada
Calada.
Existe?
Onde?
Cantada nas mentes sonhadoras".

Bjos.

Letícia disse...

É preciso maturidade para dizer isso, Biba. Vejo suas realizações, seus posts e acredito que ainda temos salvação. Porque devemos continuar. Porque palavras não deixam de existir.

Beijos, Biba.
Com "açúcar e afeto". =)

João Pedro Vicente disse...

Em 2005 eu escrevi um romance, mas o editores opinaram que não estava bom.

E qdo terminei já sentia isso que vc descreve, como se novas narrativas se formassem, pedindo para serem escritas.

Mas aí adentrei no jornalismo, virei concurseiro, e acabei suplantando esta vertente.

. Cíntira's Castle . ♪ disse...

' Espero que a magia da escrita e de novas palavras e textos, nunca deixem de existir.

Nosso mantimento.

Biba disse...

Franzé, muito lindo o poema!

Beijo,
Carpe Diem!!

Biba disse...

Letícia, que bom ler o que você escreveu, que bom que bom. Quando te visito e leio teus lindos e criativos textos penso o mesmo, embora nunca tenha tido a clareza de dizer.

Beijo, com acúcar, com afeto

Carpe Diem!!

Biba disse...

João Pedro, creio que nunca suplantamos essa vertente. Um dia você a verá jorrar novamente, tenho certeza. Comigo foi assim, por diversos motivos, um deles o trabalho em redação de jornal, que não nos dava uma brecha.

Beijo,
Carpe Diem!!

Biba disse...

É verdade, é o nosso mantimento. Nunca há de cessar.

Beijo
Carpe Diem!!