quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O coração estremeceu, como as pernas e braços. Eu não lembrava mais dessa sensação da dor de saber o que não se deseja. Me recomponho como posso e sigo adiante. Tenho fé. Já me disseram que tenho muita. Como a que um dia eu vi nos olhos de minha avó? Não chega a tanto. Mas é uma fé ardorosa na natureza, no limiar das coisas, na mão de Deus sobre os homens. Agora, mais que nunca, faço minha oração. Que esse coração quebrantado veja a luz. O meu, e o dele.

8 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Olá menina. Naõ estou cobrando nada, viu? è só que andei pensando...Gsoto muito do que escreve e como escreve. Sempre te visito, sou um seguidor seu, Eu tb escrevo, não tão bem quanto vc, porém estou sentindo falta de vc em meu blog. Visite-me de vez em quando, me deixaria feliz.

Eu sempre oro mas acho que deus não acredita em mim. Tb pudera eu não acredito nele.

Bjos com carinho.

Germano Xavier disse...

Esse seus nacos literários de profundas provocações.

Continuemos, Biba...

Biba disse...

Franzé, querido, desculpe minha indelicadeza. Realmente não tenho deixado mensagens pra você, vou começar a fazê-lo.

Beijo e carinho
Carpe Diem!!

Biba disse...

Germano, gostei dos "nacos literários"!

Beijo
Continuemos...
Carpe Diem

Camila A. disse...

Biba, fazia um tempo que não podia mais parar e ler tuas palavras. E agora me emociono com tudo isso que li. Entre as palavras do Caio e da Clarice estão as tuas ali. Tão como aquelas que gostaria de ouvir. Obrigada.
Espero que o coração fique bem de novo.

Biba disse...

Camila, querida, que bom ter você aqui. E, se consigo emocionar alguém... bem, é como dar um longo abraço. Sinta assim.

Carpe Diem!!

zyzza disse...

"Eu não lembrava mais dessa sensação da dor de saber o que não se deseja"... Incrível!!! Teve exatamente isto no meu hoje. Foi ruim. Então nos resta persistir na fé.

valeu
bjs

Biba disse...

Zyzza, sempre nos resta a fé. Persistir nela.

Beijo
Carpe Diem!!