quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Paz

Estar em paz é como uma promessa. Eu tenho que pagar por ela. Tenho que me devotar e escolher caminhos. O que estou semeando será sempre em nome da paz. Em mim, nos outros. Sem o outro, estamos perdidos. Reverencio solenemente os momentos de paz, já que eles não persistem. São da ordem das coisas inefáveis. São curvilíneos, esses momentos. Enroscam-se, nos abraçando suavemente. Deles retiramos a força para a continuação de tudo. Estar em paz é orar para si mesmo, crente em toda a nossa própria determinação e fé. Estar em paz ultrapassa o lugar, o hoje, o amanhã. Creio que desses movimentos circundantes de pacificidade em nós, nasça o que há de mais belo: as batidas de um coração no ventre da mãe.

4 comentários:

Franzé disse...

Sei que é chavão porem...
"Faça amor não faça guerra".

Bjos menina linda.

Beto Canales disse...

legal

Biba disse...

franzé, acho que é uma frase emblemática, gosto dela.

Beijos
Carpe Diem!!

Biba disse...

Hoje foi dia do professor, Beto. Eu ganhei uma rosa branca.

Beijo
Carpe Diem!!