quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Ser poetisa

Ser humilde e sábia como Cora Coralina

ter todo o encanto de Florbela Espanca

saber do limiar como Ana Cristina Cesar
declamar a existência como Lya Luft e

saber de tantas outras poetisas a povoar

diletamente o meu pequeno universo de

cores, aromas, serenos da madrugada...

ser simples e generosa para poder lidar

com a palavra mais complexa e febril

dar-se conta de que o mundo é tão mas

tão áspero que sua superfície nos dói

ao mínimo toque descuidado e infantil

ser serena e breve como a andorinha

e plena águia quando a noite acontecer

saber das delícias e tormentos de ser

poetisa em tempo de megabytes, enfim

4 comentários:

Bruna Battirola disse...

OI Biba, como vai?
Nossa, quanto tempo que a gente não se vê. To com saudades.
Abraço

ira disse...

biba, linda demais essa poesia. obrigado por ela. bjim

Biba disse...

Oi,Bruna! Saudades menina! Beijo e Carpe Diem!

Biba disse...

Ira, que bom que você gostou. É uma reverência a essas grandes mulheres, não é? Bjim e Carpe Diem!