segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Luz

Fartar-se de luz apenas

Ouvindo James Blunt:

“Dê-me razão mas

não me dê escolha”

Armar a escotilha

Saltar no mar gelado

Declamando Blake

Chorando Bergman

Fartar-se de luz apenas

Lendo Fitzgerald

Revendo Bertolucci

Amando pelo avesso

Revirar-se pela lua

Num movimento solo

Olhando a Terra como

Quem fosse astronauta

Fartar-se de luz apenas

Por ver o dia raiando ou

A noite chegando ao léu

Ao som de Bono Vox

6 comentários:

ira disse...

que lindo, Biba!
bjim procê e pra vida!
ira

Biba disse...

Bjim, Ira. Valeu a leitura. Carpe Diem!

marcos disse...

olá, Isabel!
Eis eu, estreando no teu inspiradíssimo (e inspirador) blog!
Como já e disse, tu és poetisa nata, só não sabia...
Comprova minha tese a qualidade do que estás produzindo.
Tua poesia é de primeira linha, e é natural que um livro com elas se vá fermentando.
Bjs

Biba disse...

Olá, Markirst! Que bom sabê-lo visitante do Carpe Diem. Fiquei muito feliz com suas palavras de incentivo.
Obrigada!!Beijos!!

Caco disse...

Poesia não é meu forte, mas dos teus poemas eu particularmente gosto muito.

bjim

Biba disse...

Obrigada CACO, querido! Beijo grande,
Carpe Diem!