sábado, 6 de março de 2010

Encontro

As revistas desarrumadas. Ele olhou e leu as manchetes pela metade. Não estava interessado em ler. Havia uma tristeza, uma angústia. Precisava livrar-se disso e logo aquela porta se abriria e a terapeuta iria sorrir e mandá-lo entrar. Mas havia algo no ar. Quando deu por si estava conversando para dentro. Falando com Deus, assim em pensamento. Como a gente costuma falar outras coisas com a gente mesmo. Só que naquele instante, enquanto a música enlevava o lugar, ele sentiu o que disse ser a presença de Deus, então chorou mansamente. Pedia força, luz, alegria. Pedia como quem pede um pedaço de pão com manteiga. Tinha o rosto marcado pelo tempo. O corpo franzino e a boca pequena estava trêmula. Rogou um instante de paz. Quis abraçar aquele momento e torná-lo palpável. Sua prece, ou seja lá o que for, deixou-o aliviado. Tanto que quando ela abriu a porta com seu sorriso suave, ele tinha outro semblante. Lá dentro ela diria: "Você melhorou muito". Mais tarde ele ligaria o fato àquele momento diferenciado em que quis se aproximar daquilo que chamamos Deus.

8 comentários:

Liene disse...

Sabe Biba, eu sinto uma paz tão grande quando leio teus textos. Não tenho comentado com frequência mas estou sempre aqui.
Gosto disso e me faz bem.

Beijos!

Franzé Oliveira disse...

Quero segurar sua mão.
Sentir sua força...

Beijos menina linda.

Geriatria disse...

Tenho tentado este contato com Deus... Creio que é reconfortante e talvez, necessário. Às vezes difícil para quem a vida inteira tentou se afastar de quaisquer divindades. Mas faço minhas orações e frequento templos - templos vazios, que é onde consigo me encontrar melhor. Qualquer templo, qualquer religião - mas na maior parte das vezes, igrejas, capelas, oratórios, lugares onde

Douglas Barreto disse...

Biba, gosto de lhe chamar Professora!
Pq aprendo muito com vc. Leio seus textos e acho-os incriveis.

Parabéns e obrigado por ser esta pessoa especial.

Douglas Barreto

Biba disse...

Liene, que bom ter você por perto e saber que sente paz ao ler meus textos. Fico muito feliz!

Beijos
Carpe Diem!!

Biba disse...

Franzé, ainda que virtualmente, te dou minha mão para segurar, sinta a minha força...

Beijo e carinho
Carpe Diem!!

Biba disse...

Geriatria, lugares onde. É isso, creio que encontramos Deus assim. Não precisamos de templos cheios e de rezas milenares, apenas o nosso estar ali, tentando essa conexão, dizendo o que tem que ser dito pelo coração é o que faz a diferença. Nunca deixe de buscar. E, sabe, não pense em Deus como divindade, esse é o olhar ocidental cristão.
Abraços
Carpe Diem!

Biba disse...

Douglas, que alegria para mim continuar sendo sua professora. Obrigada pelas palavras de carinho.

Beijo,
Carpe Diem!!