quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Rosa do Marrocos

Miguel deixou cair o livro no chão. As páginas amareladas de uma edição de bolso do Werther folhearam-se ao acaso pelo vento:

A vida humana não passa de um sonho. Mais de uma pessoa já pensou isso... Dançamos vários minuetos... meus dias de felicidade são como os que Deus reservou aos seus santos... a distância, naquelas paragens, parece-se com o futuro...

As frases soltas, Miguel leu enquanto o vento, com seus invisíveis dedos, saltava as páginas. “De dentro de mim”, pensou, “eu não entendo o que sou fora de mim. Esse corpo. Essa luz que ilumina esse corpo. Tanto desejo...”. Miguel olhou o mar, era como reconhecer-se. A inquietude gigantesca das águas azuis era a mesma que o levara àquele exílio. Precisava serenar-se, mas a maré estava por subir. Inteiramente sabia, mas metade dele negava-se ao destino. “Eu faço o que há para ser feito de mim. Tenho essa certeza. Hoje, não queria as lembranças porque elas me mostram o que já fui e eu agora queria o que está por vir, o que desconheço. No entanto, parece que, como o mar revolto, o depois pode ser a imagem do dia anterior”.

Nessa solidão escolhida, falou em voz alta, antes de abaixar-se para recolher o livro: “Desse jeito você vai deixar a loucura entrar”. O pensamento, velocidade da luz, respondeu no ato: “Já está dentro”. Goethe por acaso não era um insano também, perguntou-se. “Se eu fosse Werther mataria em mim o desejo, apenas isso”. A idéia de salvar o personagem de seu trágico destino era, e isso ele sabia, o seu próprio desejo de purificação.
(Trecho de Rosa do Marrocos, do livro de contos O Imprevisto)

10 comentários:

Daia disse...

Que texto profundo prof.
Beijão e ótimo final de semana! =)

Biba disse...

Oi Daia,
que bom tê-la por aqui. Um bom final de semana pra vc também!
Bjuss
Carpe Diem!!!

sr. dédalus disse...

a loucura está sempre dentro...

Biba disse...

a loucura escorre pelas veias dizia caio fernando abreu...

Caco disse...

"... só você poderia florescer no deserto de que sou feito." Gosto demais disso! :-)
bjs

Biba disse...

Caco, querido, obrigada por me visitar sempre e por gostar assim dos meus contos. O segundo livro está pronto há um ano, mas ainda não investi em torná-lo público. Talvez o faça via blog, com trechos.
Bjus
Carpe Diem!!

Marcelo A. de Moura disse...

E o refletir é como uma trombeta chamando a loucura. Toque baixo para não enlouquecer, toque alto para se aproximar de quem és. É só escolher, será? Vou acompanhar o blog Biba, obrigado por me passar o endereço, esse texto é muito bom mesmo.

Beijo prof.

Biba disse...

Olá, Marcelo, que bom que você gostou do blog e do texto. Espero que você me visite sempre deixando seus recados por aqui.
Bju
Carpe Diem!

Beto Canales disse...

Muito bom. Mesmo.

Biba disse...

beto, creio que você iria gostar do meu livro...
Bju,
Carpe Diem!!!