terça-feira, 4 de novembro de 2008

Os dias...

Os dias têm sido intensos. As noites de calmaria. Dormir era preciso depois de tanta insônia. De dia, você abre os olhos e pensa estar vendo de tudo um pouco. Mentira. São apenas focos, enfoques, angulações. Uma fração do destino. Um milésimo de verdade. O resto é incerteza. É (d)nela que vivemos continuamente, sempre dizendo o contrário: que temos tempo ainda, que sabemos o que nos espera, que somos não o que aparentamos, que que que. Palpita a vida com seus lampejos e a nossa vocação é estar no limite, mesmo quando acusamos firmeza e declaramos que não, não somos um embuste. Não nos deixemos ser! Que a engrenagem obscena não tolha nossos sentidos e assim possamos realmente (v)ser.

6 comentários:

Bruno Mezzomo disse...

colocar um contador de visitas aí para começar a contar as visitas do blog né professora !
HUAuahau

Anônimo disse...

e o coração pulsa e pulsa o impulso ao sangue. "passion"

Biba disse...

Bruno,
não importa para mim o número de visitantes e sim quem são e o que têm a me dizer.
Carpe Diem!

Biba disse...

anônimo, sim, o coração pulsa e dessa forma nos sentimos mais vivos.
"passion"
Carpe Diem!

Adri Antunes disse...

o pior de tudo é a sensação de insatisfação que vai preenchendo os dias...às vezes fico me perguntando por que sinto isso? esse sentir que nada mais é do que não sentir nada e por isso angustia!
bjuuu
ainda bem que o sol tem resistido!

Biba disse...

Adri, isso angustia sim e pelo jeito sofremos do mesmo "mal".
Que bom tê-la por perto.
Bju e que o sol persista!