segunda-feira, 5 de novembro de 2007

A noite clama

Estou perdida

Você é meu caos

Desencontrada

Reviro-me nos lençóis

Penso em begônias

Em plantas e segredos

Rolo na cama vazia

Durmo acordada

Porque ouço rumores

Talvez teus passos

Na escada que não tenho

Talvez sejam as vozes

Como a dos esquizofrênicos

Estou perdida e a noite clama

Pelo sono, pelos sonhos

Que não vêm, que não vêm

2 comentários:

Diego disse...

Oie!
Lindo Blog. Lindos poemas....

beijos.

Biba disse...

Oi Diego, que bom que você me visitou!! Beijos e Carpe Diem!