segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Cárcere

Chico Buarque

se ouvia ao longe

Enquanto a lua

vaga

entornava luz

E eles se beijavam

com fome feroz

Diante deles

os guardas sorriam

com desfaçatez:

- Deixa que beijem,

diziam -

pois a execução

já está planejada

2 comentários:

Jack : disse...

Biba, querida!
Muito bom isso, adorei.
Aliás, me lembra um conto do Sartre, que li no século passado.

Mas bom, mesmo, é teu blog, super estimulante. Obrigado por mantê-lo!
Um beijo.

Biba disse...

Jack, estou superfeliz porque você me visitou!!
Adorei e espero que você volte sempre.
Beijos!
Carpe Diem!