domingo, 17 de maio de 2009

Surpresa

Não, ela não acreditava em duendes ou outras dessas invenções malucas. Tinha sim o imaginário repleto de nomes de artistas famosos. Nenhum deles interpretou um duende. Ela fazia as compras no supermercado na hora em que havia mais gente que era para poder tropeçar, se segurar em alguém, tocar o outro, esbarrar. Ela era muito solitária. Tinha vergonha de seu próprio êxtase sozinha. Quando chegava ao clímax, mordia o travesseiro sendo que a vontade era de gritar. Porém ela era assim, e quase inacessível com seus olhos arredios de gata de rua. Não sabia se era desejada. Não sabia se vestia as roupas "certas", se chamava a atenção ou se passava desapercebida. Todo dia rezava para aparecer alguém na sua vida. Alguém que virasse tudo do avesso. Ela jurava que então seria travessa e lúdica como ninguém ousaria imaginar. Na cama, ela queria dizer. Pois esse alguém ela desejava em sua ampla e adorável cama de marfim. Naquele dia, quando saiu caminhando à toa e passou por uma construção, ouviu assovios. Ficou ligeiramente tocada, tal era a sua solidão. Contudo, logo lembrou que homens em construções querem fisgar qualquer peixe. Assim, tomada por um certo abatimento, voltou para casa e enfiou-se sob os lençóis cheirosos de amaciante. Chorou baixinho, para não assustar o duende que estava no outro travesseiro olhando para ela com uma cara de compaixão, que nossa!

11 comentários:

Mauro Vaz disse...

gostoso de ler!

Letícia disse...

O duende é um homem comum. Dizem que é verde e pode fazer encanto ou coisa do tipo. Não tenho um duende, mas bem que poderia ter. E andar perto dessas construções aliviam a solidão ou aquela sensação de feiura e esquecimento.

Beijos, Biba.

Desculpa o sumiço. Estive meio doente.

Marcelo A. de Moura disse...

Mulheres passando por construções...rs! Hoje mesmo ouvi numa conversa alheia "Guria, quando tu estiver com a estima lá embaixo, passa por uma construção". Quantos duendes qualquer um já viu construindo casas ou prédios? Isso pra ñ fazer outra pergunta bem óbvia...rs

Duani Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Duani Lima disse...

Humm... Tenho um poema chamado " A estranha" um pouco parecido com esse esquisito que nos vem aos olhos as vezes.
Adorei o texto Biba, acho que todo mundo tem um pouco disso. Não acreditam em duendes, acreditam se a felicidade vem dos outros para nós.
Enfim achei bastante reflexivo e proveitoso seu texto!^^
Beijos Biba e até breve!

Duani Lima disse...

Acreditam que a felicidade vem dos outros para nós.

Marco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Biba disse...

Oi Mauro, que bom que gosta dos meus textos.

Beijo,
Carpe Diem!!!

Biba disse...

Letícia, espero que vc já esteja bem. Senti sua falta por aqui.

Beijos,
Carpe Diem!!

Biba disse...

marcello, adorei o comentário, viu? rs

Beijo,
Carpe Diem!!

Biba disse...

É bem isso, Duani. Gostei.

Beijo,
Carpe Diem!!