quinta-feira, 15 de abril de 2010

A manhã se dissolve. Um livro. Àgua. Tolerância. Meus filmes preferidos. Tudo se elenca porque hoje é quinta e amanhã, bem, amanhã ninguém sabe, diria Drummond. Hoje, então, cinzas de um vulcão sobrevoam a Europa, enquanto por aqui outras cinzas se dissipam. Aquelas das horas, de que fala Adriana Calcanhotto. E vamos respondendo ao tempo que não temos tempo, porém seguimos.

10 comentários:

Beto Canales disse...

legal...

Fernanda Zanol. disse...

quando a gente quer, acha tempo pra tudo.

bjo ;*

Lilian disse...

Boa noite, Biba...

Transversando no seu tempo

"_Olá, como vai?

_EU VOU INDO E VC, TUDO BEM?

_Tudo bem. Eu vou indo, correndo, pegar meu lugar no futuro e vc?"

_EU?

Eu quero um tempo sem tempo.
Pra viver a eternidade de um momento
...

bjo.
lilian*lila*

PS. Espero que não se incomode com essa minha inspiração de carona no seu tempo...

ira brito disse...

oi biba. um versinho inspirado em seu texto:

é o tempo
é a fumaça
são as horas
olho para o horizonte
deixo o tempo ir embora
engulo o vento
e sem demora
sou de novo
escravo do tempo
de agora...

bjo e ótima sexta, biba
saudades de vc

Lilian disse...

Oi,Biba...
rsrsrsr
Oi Ira!

Então
rsrsrsr
De escrava do tempo de agora, me fiz senhora
de um tempo q não demora...
bora?

"Vãobora"!?

lilian*lila*

Biba disse...

Legal você sempre aqui, Beto.

Beijo,
Carpe Diem!

Biba disse...

É Fernanda, quando a gente quer...

Beijo
Carpe Diem!!

Biba disse...

Lila, gosto muito dessa música!

Beijo,Carpe Diem!

Biba disse...

Oi Ira, que bonito seu poema!

Beijo,
Carpe Diem!!

Biba disse...

Lila, então... "vãobora"!

Beijão
Carpe Diem!!