sexta-feira, 13 de junho de 2008

Viver

O frio. O sol. O gato que se deita e lambe os pelos. A luz e sua intensidade, vindo, abrindo postigos para que entrem. A roupa no varal. Chico Buarque na canção. Um pé, ante-pé. Um pé atrás. Ninguém morreu e a lua ficou calada combalida pela noite fria. Relembro alguns fatos, outros esqueço. Del. Viver é mesmo uma coisa inusitada... Que bênção!

4 comentários:

ira disse...

muito lindo, Biba!
bjo

Biba disse...

Beijo Ira, que bom que voc~e esteve aqui!

Caco disse...

Esse texto é uma tarde ensolarada de inverno. :-)
beijos

Mugnolini disse...

long live rock'roll...

:)